Cancer bucal

por Raquel
Publicado: 22/05/2018 - 15:26
Última modificação: 19/10/2018 - 15:45

O câncer bucal tem sido responsável por índices de mortalidade que superam aquêles para câncer ginecológico, pulmão, leucemias e linfomas e melanomas. Parte deste quadro tem sido associado a um diagnóstico tardio, em função do desconhecimento profissional e da população sobre o impacto da doença na saúde. A identificação e mensuração destes aspectos poderiam proporcionar a melhoria do conhecimento sobre permeação da doença na região do Triângulo Mineiro, salientando suas particularidades regionais quanto a exposição aos fatores de risco classicamente conhecidos. Estes dados poderão ser fundamentais na orientação da prevenção da doença, considerando a educação da população, do diagnóstico precoce, e na formação profissional mais satisfatória e no estabelecimento de protocolos diagnóstico e tratamento da população acometida. Isto poderá influenciar significativamente na melhoria do prognóstico das lesões que, atualmente, são desfavoráveis aos pacientes. Estes estudos são complementados pelas avaliações de fatores de prognóstico tumorais. Recentemente, uma gama enorme de estudos em câncer bucal, procuram identificar marcadores moleculares, resultantes de alterações genéticas que influenciam no comportamento biológico das lesões. Conseqüentemente, a identificação destes fatores, contribuirá para a elaboração de um perfil clínico-patológico das doenças com repercussão direta na forma de tratar e no prognóstico esperado. Adicionalmente, os estudos com fatores de risco permitiriam contribuir para avaliação dos mecanismos patogênicos do câncer e o desenvolvimento de metodologias pertinentes a estas investigações. Além disto, a identificação de substâncias naturais potencialmente ativas nas diferentes fases da carcinogênese, podem abrir caminhos para o conhecimento de novas drogas anti-neoplásicas, favorecendo com a melhoria das condições de vida e o aumento da expectativa de vida dos indivíduos.

Linhas de Pesquisa: